Como dividir um livro em capítulos - Aprenda a organizar sua obra como um escritor profissional!

Como dividir um livro em capítulos? Aprenda a organizar sua obra como um escritor profissional!

Muitos autores que estão começando a escrever sua primeira obra literária se perguntam como dividir um livro em capítulos. Embora não existam regras rígidas para a divisão de capítulos de um livro, se você é um desses escritores, saiba que é possível contar com boas práticas para organizar a estrutura de capítulos do seu livro. É isso que você aprenderá neste post. Continue lendo até o final e confira!

Por que é importante saber como dividir um livro em capítulos?

Imagine pegar um livro escrito do início ao fim sem nenhuma formatação ou divisão de ideias ou tópicos. Seria confuso e até mesmo pouco atraente visualmente, não é verdade?

Por mais que o conteúdo do livro seja bom, é preciso saber organizá-lo a fim de facilitar a compreensão do público desde o primeiro contato com o livro.

Veja, por exemplo, como organizamos os posts do nosso blog. Sempre apresentamos cada aspecto do assunto tratado em uma estrutura de subtítulos coerentes com a ideia central. Disponibilizamos até mesmo um índice após a introdução de cada artigo a fim de facilitar a sua navegação na página.

De forma semelhante, a estrutura de capítulos de um livro ajuda as pessoas a se localizarem durante a leitura. Assim, fica fácil fazer pausas e retomar a leitura, seguindo de maneira mais agradável até o final da obra.

Além disso, as divisões do livro também são formas de entregar informações no momento certo ao leitor. Já falamos sobre a importância da técnica da exposição no post como começar um livro.

Em suma, o escritor precisa definir a hora certa de transmitir uma informação a fim de não sobrecarregar o leitor, bem como mantê-lo engajado com o livro.

Portanto, é vital para o sucesso da obra que o autor saiba como dividir um livro em capítulos. A seguir, daremos dicas práticas para você conseguir ordenar capítulos de um livro. Acompanhe!

O que são capítulos de um livro?

De forma geral, capítulos são divisões de uma história, sejam autobiografias ou narrativas de ficção. São formas de organizar o conteúdo em tópicos ou seções.

Agora, falando mais especificamente de livros de ficção e fantasia, capítulos são compostos por CENAS. Segundo Felipe Colbert, em seu livro “Escreva Seu Livro Agora! Cenas E Diálogos”:

“CENAS estão para capítulos assim como vagões estão para os trens.”

Mas, o que são CENAS?

Para o professor de escrita criativa, Robert McKee, autor do livro “STORY: substância, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro”:

“O ideal é que toda CENA seja um EVENTO.”

Talvez, agora você esteja se perguntando: “ok, mas o que é um evento?”.

De acordo com McKee, eventos são mudanças significativas na vida dos personagens da história, seja expressa de forma positiva ou negativa. (Também gostamos de nos referir a “narrativas” com o termo “estória”, que acabou caindo em desuso no Português).

Portanto, para saber como dividir um livro em capítulos, em primeiro lugar, é preciso conhecer os elementos da STORY, ou estória, como gostamos de traduzir.

Como fazer a separação de capítulos de um livro?

Antes de tudo, sobretudo em livros de ficção, tenha em mente a composição de uma estória. Ela é formada por:

  • BEATS: menor elemento dentro de uma estória. Consiste na mudança de comportamento entre a ação e a reação dos personagens;
  • CENAS: conjunto de ação e reação que transforma a situação do personagem em pelo menos um valor, do positivo ao negativo ou vice versa;
  • SEQUÊNCIAS: conjunto de CENAS, que criam um impacto de mudança maior na estória;
  • ATOS: pontos de viradas mais intensos, que mudam ainda mais drasticamente o rumo da estória;

Assim, uma estória é uma sucessão de eventos construídos gradativamente, na qual BEATS formam CENAS, que formam SEQUÊNCIAS, que, por sua vez, formam ATOS.

Porém, é mais fácil começar a planejar um livro pensando do macro para o micro. Ou seja, traçar os eventos que marcam os ATOS e depois esmiuçá-los em SEQUÊNCIAS, CENAS e BEATS.

Beats, Cenas, Sequências, Atos

Já explicamos anteriormente porque e como a estrutura em 3 ATOS é a mais comum na composição de estórias. Você pode ler mais sobre como usá-la no post como escrever um livro passo a passo.

Mas, para fazer sentido ao seu entendimento de como dividir um livro em capítulos, vamos recapitular os pontos mais importantes dessa estrutura:

Organizando os eventos do seu livro dentro da estrutura de 3 ATOS

Os 3 ATOS representam os clássicos início, meio e fim de uma estória. Quem não lembra de ter ouvido a professora de redação insistindo nessa divisão?

De fato, saber conceber o início, meio e fim da sua narrativa, mesmo que não sejam apresentados nessa ordem precisamente, é fundamental para chegar à organização dos capítulos do livro.

Portanto, antes de elaborar os capítulos, planeje:

O primeiro ATO

Inclui a apresentação do protagonista e antagonista. Além de dar uma noção do funcionamento desse mundo, suas regras, hábitos e costumes, bem como a exposição do conflito principal: o que está em jogo nessa estória.

Além disso, o primeiro ATO inclui a parte da estória responsável por desestabilizar o protagonista e seu mundo, denominado de Incidente Iniciante.

Outro princípio intrínseco ao Incidente Iniciante é que o protagonista deve reagir a ele. Assim, o personagem entra em uma cadeia de eventos que o conduz a um ponto crítico dentro do ATO, conhecido como a crise inicial ou Clímax do Primeiro Ato.

O segundo ATO

Consiste na confrontação do protagonista ao antagonista. Desse modo, o personagem vai situando melhor quanto a seus problemas e decidindo enfrentá-lo cada vez mais diretamente.

Por outro lado, seus esforços acabam gerando um ponto em que dá tudo errado — o que chamamos de desastre. Assim, o protagonista se prepara para combater frente a frente às forças do antagonismo — que representa a crise final.

O terceiro ATO

Inclui o ponto de maior tensão da estória — o clímax — que consiste no teste final, o embate entre as forças do protagonista e do antagonista.

Essa luta requer um desfecho, que é definido como o resultado do combate entre o protagonista e o antagonista. Depois disso, vemos a resolução da estória até o seu fim.

Dessa forma…

Para estabelecer os 3 ATOS da sua estória, pergunte-se:
  • Quem é o protagonista e qual seu objetivo? (o que ele quer?)
  • Quem é o antagonista?
  • O que está em jogo nesta estória? Quais as consequências de uma possível vitória ou possível fracasso do protagonista?
  • Quais os conflitos principais?
  • Quais os principais obstáculos do protagonista? O que vai atrapalhando cada vez mais a sua jornada?
  • O que vai desestabilizar completamente o seu mundo?
  • Como ele vai reagir a isso?
  • Qual a pior situação possível dessa reação?
  • Como será o embate entre as duas forças?
  • Qual será o estado final do protagonista?
  • Qual será o estado final do antagonista?

Ao responder essas perguntas, você terá uma visão geral da sua estória dentro da estrutura de 3 ATOS. Veja como fica visualmente:

Planejamento de um livro - estrutura de 3 atos

 

Estruturando suas CENAS

A partir da definição dessas partes principais da estória dentro dos 3 ATOS, você consegue imaginar com maior facilidade as SEQUÊNCIAS que conduzirão a cada um dos pontos de viradas mais impactantes da narrativa.

Por exemplo, você pode organizar as:

  • CENAS de apresentação;
  • CENAS do Incidente Iniciante;
  • CENAS das reações;
  • CENAS para o Clímax do Primeiro Ato;
  • CENAS relacionadas aos obstáculos definidos para o segundo ATO;
  • CENAS para o desastre e para a crise final;
  • CENAS para o clímax, desfecho e resolução do livro.

Nesse primeiro momento, você não precisa escrever cada uma dessas CENAS. O objetivo aqui é definir a estrutura delas. Felipe Colbert descreve a estrutura em larga escala dessa forma:

estrutura em larga da CENA - cena e sequela

 

Em que CENA (em maiúsculo) é composta por um conjunto de cena (minúsculo) e sequela. Por sua vez, a:

  • Cena: consiste na ação, ou seja, a unidade de conflito da CENA;
  • Sequela: representa a reação do personagem à cena;

Portanto, você traçará uma relação de causa e efeito em cada uma das CENAS.

Além da estrutura, é preciso definir mais algumas informações de cada CENA, como:

  • O que vai acontecer;
  • Quando vai acontecer;
  • Onde acontecerá esta cena;
  • Quem estará em cena;
  • Qual o ponto de vista.

Resumindo suas CENAS

É importante documentar todo o processo de elaboração de CENAS durante esse planejamento. Para isso, basta abrir um documento em um editor de texto, como o Word, e anotar um resumo contendo cada bloco de CENAS (cenas + sequelas).

Esse resumo de CENAS é chamado de escaleta. Este é um recurso que roteiristas usam para traçar sua estória do início ao fim, antes mesmo de começar a escrever. Assim, pode ser facilmente incorporado à escrita de livros.

Basta organizar suas SEQUÊNCIAS em CENAS compostas por suas devidas unidades de ação e reação.

Inserindo suas CENAS dentro dos seus capítulos

Agora que você compreendeu o que é um capítulo e que cada um deles engloba CENAS, fica mais fácil organizar cada uma delas dentro do seu respectivo capítulo.

Não existe uma regra que delimite um número de CENAS dentro de um capítulo. Na verdade, você pode incluir apenas uma CENA dentro de um único capítulo!

Tudo depende de como você deseja transmitir o conteúdo ao seu leitor. Porém, alguns pontos que podem ajudar a começar um novo capítulo são:

  • Mudanças de pontos de vistas;
  • Introdução de novos personagens;
  • Introdução de outros cenários / lugares;
  • Nova situação no tempo e espaço;
  • Necessidade de explicar algo que foi levantado anteriormente;
  • Mudanças de sequências (lembrando que um conjunto de CENAS formam sequências, como vimos nos conceitos fundamentais da estrutura);
  • Etc.

Quantas páginas deve ter um capítulo de um livro?

Depois de entender como dividir um livro em capítulos, talvez você esteja imaginando quantas páginas devem ter.

Novamente, não existe uma resposta certa ou errada nesse sentido. Mas, você pode chegar a uma decisão mais assertiva se analisar o seu público-alvo.

O público infantil, juvenil e jovem tende a ter menos atenção. Logo, pode ser mais interessante pensar em capítulos menores.

Porém, isso também varia em relação ao gênero literário. Livros de fantasia e ficção-científica, geralmente, precisam de mais páginas para explicar conceitos e particularidades do mundo criado — e os leitores desses tipos de livros, de maneira geral, gostam desses detalhes.

Além disso, segundo uma pesquisa sobre hábitos de leitura no Brasil, no século XXI, o livro disputa a atenção de pessoas de diversas idades com uma série de outros entretenimentos. Só para ilustrar: redes sociais, plataformas de vídeos, games eletrônicos e etc.

Dessa forma, é preciso considerar cada um desses aspectos a fim de chegar a uma decisão de quantas páginas escrever. Até cinco páginas, pode ser considerado um capítulo pequeno. Entre 10 e 15, o capítulo já pode ser considerado extenso. Assim, dependendo do leitor, a atenção é reduzida e o risco de abandono da obra se torna maior.

Prepare-se para escrever os capítulos de um livro

Antes de sentar e escrever, o autor precisa se preparar. É necessário ter uma visão geral de toda estória antes de estruturar seus capítulos.

Agora que você tem uma noção mais profissional de como dividir um livro em capítulos, estruture sua narrativa pensando nos 3 ATOS e depois detalhe os eventos que os compõe dentro da estrutura de CENAS.  Assim, você poderá organizar os capítulos do seu livro de maneira consciente, lógica e agradável para seus futuros leitores.

Se você gostou das dicas e quer ficar por dentro dos próximos conteúdos, preencha o formulário abaixo e assine nossa newsletter para receber as novidades por e-mail. Até a próxima!