O que é autopublicação de livros e como publicar

O que é autopublicação de livros e como publicar

Você já sonhou em ter um livro publicado? Todo autor deseja levar suas obras ao mundo. Para isso, é necessário dar o primeiro passo e publicar seus escritos. Nesse sentido, a autopublicação de livros é uma forma democrática e viável de realizar esse sonho. Mas, muitos escritores iniciantes ainda têm dúvidas sobre o processo. Se este é o seu caso, continue lendo e veja o que precisa saber sobre autopublicação de livros.

Por que investir em autopublicação de livros?

Em primeiro lugar, temos a crise no mercado editorial, que não se trata de uma crise do mercado do livro em si, mas do modelo de negócio de grandes livrarias e editoras tradicionais.

Em suma, a venda em livrarias físicas ainda representa a maior fatia de faturamento das editoras tradicionais. Porém, nas últimas décadas, as grandes redes enfrentam crises consecutivas, adiando ou até mesmo suspendendo pagamentos a essas editoras.

Essa crise afeta as editoras tradicionais uma vez que os livros são deixados em consignação nas livrarias físicas. Assim, elas só repassam o pagamento das unidades vendidas, com um prazo de 30 a 60 dias, em média. Além disso, a porcentagem das livrarias fica em torna de 40% a 55% do preço de capa do livro. Ainda tem a questão do investimento de colocar o livro em exposição no espaço físico — um alto investimento para deixar os livros expostos nas prateleiras de maior destaque da loja.

As editoras tradicionais ainda têm que arcar com custos de impressão do livro, marketing, logística, impostos, taxas gerais e… O pagamento de direitos autorais dos seus escritores.

Por outro lado, as livrarias físicas tem que arcar com altos custos de aluguel, já que geralmente estão situadas em shopping centers ou grandes lojas metropolitanas. Porém, o ticket médio do livro não cobre todos esses custos e os lucros só diminuem. Consequentemente, os pagamentos às editoras acabam sendo atrasados, adiados ou até mesmo suspensos. Daí, chegamos de maneira resumida à razão dessa crise no mercado editorial.

Com a crise da pandemia do coronavírus, a situação voltou a se agravar. Nesse sentido, Saraiva e Cultura anunciaram suspensão de pagamentos por tempo indeterminado a seus fornecedores.

O que a crise do mercado editorial tem a ver com autopublicação?

Pense um pouco: se as livrarias são o cerne do negócio das editoras tradicionais e estão enfrentando sérios problemas financeiros, logo, isso também afeta as editoras. Se as editoras não recebem o pagamento pelos seus livros, também não há o que pagar aos seus escritores.

Desse modo, o processo de seleção de novos originais está cada vez mais restrito. As editoras passam a investir seus esforços em escritores que têm maiores chances de gerar um retorno mais rápido. Em sua maioria, autores estrangeiros já renomados e com o marketing pronto, bastando apenas traduzir e replicar no mercado nacional.

Não é pessoal, são apenas negócios.

As editoras tradicionais precisam ter uma garantia maior de que seu investimento trará um retorno capaz de mantê-las no mercado. Assim, reduzem a contratação de autores novos e desconhecidos. Afinal, teriam que investir mais em marketing e publicidade para fazer o nome desses escritores e gerar as vendas necessárias a fim de obter lucros.

Assim, a autopublicação de livros se tornou uma forma mais viável de novos autores ingressarem na carreira literária. Ou seja, publicar seus livros sem uma editora tradicional.

Vale a pena autopublicar livros?

Todo o investimento financeiro, estratégico e intelectual da autopublicação de livros parte do autor. Isso significa que é o próprio autor que tocará o projeto e arcará com os custos de produção do livro. O que não necessariamente significa fazer tudo sozinho.

Em primeiro lugar, você precisa conhecer esse cenário do mercado editorial para entender que uma possível negativa ou falta de resposta das editoras tradicionais não necessariamente quer dizer que o seu livro não seja bom o suficiente. Apenas que este é um mercado em crise, no qual as editoras precisam ser mais seletivas na escolha do que irão publicar.

De fato, não há espaço para todos os escritores. Nem nas editoras, nem nas livrarias físicas! É impossível colocar todos os livros publicados no mundo em um espaço físico, concorda?

Mas, isso não significa que não existam oportunidades diferenciadas para você ou para a sua obra.

Assim, antes de tudo, você precisa acreditar no seu trabalho. Se você acredita que o seu livro vale a pena ser lido, então a autopublicação vale a pena.

É possível ter sucesso com publicação independente?

Chamamos de publicação independente a obra que foi autopublicada pelo seu autor. Seja completamente sozinho ou por meio de uma prestação de serviços (que ainda abordaremos neste post).

Antes de avaliar o sucesso de outros autores com autopublicação de livros, medite sobre o que é sucesso para você. Como escritor, o seu desejo é ter fama, dinheiro e glamour? Ou levar sua obra ao máximo de leitores possível?

De fato, ter muitos leitores leva a vender mais, o que renderá mais dinheiro, possivelmente fama e glamour. Mas, essas últimas questões são consequências de um objetivo maior: ter sua obra lida pelo maior número possível de pessoas.

Tendo isso em mente, saiba que sim, a autopublicação revolucionou o mercado editorial, superando esse cenário de crise. Até mesmo autores renomados já se autopublicaram, como por exemplo, Paulo Coelho. Outros encontraram na autopublicação a oportunidade de começar sua carreira e conquistar seus primeiros leitores. Não apenas isso, mas obter faturamentos consideráveis com a venda de seus livros.

Segundo dados divulgados pelo El País, autores mais lidos de plataformas de autopublicação chegam a ganhar R$ 50 mil em um mês. Tudo isso faz com que os escritores invistam cada vez mais na autopublicação.

Como publicar um livro independente?

Depois de chegar à conclusão de que a sua obra vale a pena ser publicada, ainda que não seja por uma editora tradicional, chega o momento de saber como publicar seu livro independentemente.

Nesse sentido, a tecnologia, bem como a crescente adoção à internet, não apenas viabilizou a autopublicação de livros como a distribuição dessas obras. A Amazon, por exemplo, revolucionou a venda de livros físicos. Posteriormente, reinventou a forma de ler livros digitais com seu Kindle, aplicativo e dispositivo de leitura de livros eletrônicos (e-books).

Assim, podemos observar pelo menos quatro formas de publicar um livro independente:

Plataformas de autopublicação

Em primeiro lugar, destacamos a plataforma de autopublicação da Amazon: Kindle Direct Publishing (KDP).

No Brasil, a Amazon detém 60% do market share de livros digitais. Sendo que a autopublicação de livros é um dos principais fatores de crescimento desse mercado.

A publicação no KDP é simples, gratuita e permite alcançar o maior público de livros. Não só do Brasil, mas de todo mundo. Logo, é uma ótima oportunidade de expandir o alcance de sua criação literária.

Depois de criar e configurar sua conta e publicar sua obra na plataforma, o autor tem acesso a relatórios de vendas mensais. O pagamento dos direitos autorais é feito na conta bancária do escritor após a venda dos livros. No KDP, o autor pode receber até 70% do valor de capa do e-book.

Existem ainda outras plataformas de autopublicação que valem a pena estudar:

  • Clube de autores: que além de e-books também faz publicação sob demanda de livros impressos. O cadastro é gratuito e você só paga as taxas da plataforma quando o livro é vendido;
  • Publique-se: plataforma de autopublicação de e-books da Saraiva. O modelo de pagamento de direitos autorais é parecido com o do KDP da Amazon;
  • Kobo Writing Life: plataforma de autopublicação da Kobo, outro leitor de e-books.

Gráficas

Em segundo lugar, com o crescimento do mercado de autopublicação de livros, passaram a existir muitas gráficas que oferecem o serviço de impressão de livros para publicações independentes.

Assim, caso você deseje ir além da publicação digital, basta editar sua obra e depois procurar uma gráfica para produzir o livro físico.

Vale ressaltar que a maioria das gráficas não oferece uma variedade de serviços editoriais, como revisão e elaboração de design de capa de livro, por exemplo. Nesse caso, o autor precisa enviar para a gráfica o material editado e pronto para a impressão.

Quanto custa publicar um livro?

A tecnologia facilita cada vez mais a autopublicação de livros. Na impressão não é diferente. O sistema sob demanda permite imprimir os livros após a venda, como no caso da plataforma Clube de Autores. Isso reduz custos e também otimiza todo o operacional, uma vez que o autor não precisa arcar com despesas e manutenção de estoques.

Além da impressão sob demanda, atualmente, as gráficas também conseguem imprimir pequenas tiragens. Antes, era possível apenas imprimir grandes quantidades, a partir de 1000 exemplares, por exemplo. Consequentemente, o custo era muito maior. Agora, você pode entrar com investimento zero de impressão (sob demanda). Ou investimento bem menor, se preferir a impressão de pequenas tiragens.

Só para ter uma ideia, o custo de impressão de 10 unidades de um livro com 130 páginas fica em média R$ 110.  A impressão de 50 unidades pode ser aproximadamente R$ 500. Logo, é um investimento baixo se comparado às grandes tiragens.

Ferramentas e distribuidoras de e-books

É possível ainda conquistar maior distribuição em lojas de e-books com ferramentas de distribuição de livros digitais. Por exemplo, aqui no Brasil temos a Bibliomundi. Esta oferece uma plataforma de criação de e-books e distribuição nas principais lojas do mercado.

De maneira semelhante às plataformas de autopublicação, a Bibliomundi repassa 70% do valor de capa aos escritores como pagamento de direitos autorais. Assim, o cadastro é gratuito e o autor só paga pelas taxas quando o livro é vendido.

A vantagem de trabalhar com esse tipo de ferramenta é diversificar a distribuição do seu e-book e conseguir gerenciar todas as contas em um único canal. Na plataforma, o autor ainda consegue acompanhar os relatórios de vendas por canais, bem como o valor que receberá por seus direitos autorais.

Editoras independentes prestadoras de serviços

Uma editora independente é uma prestadora de serviços editoriais. Diferente de uma editora tradicional, a independente cobra pela edição, divulgação e distribuição do livro.

De maneira semelhante às gráficas, esse serviço tem se tornado cada vez mais acessível. A vantagem de investir em uma (boa) editora independente é descentralizar o trabalho. Ou seja, o autor não precisa fazer tudo sozinho.

Assim, a editora trabalha como uma parceira, dando todo o suporte que o autor precisa para transformar seu original em um produto pronto para ser comercializado no mercado.

Outra vantagem desse tipo de autopublicação de livro é profissionalizar sua publicação. As editoras independentes podem desenvolver um produto final de maior qualidade. Sobretudo, se o autor não tiver experiência em produção editorial. Basta, então, procurar por empresas com portfólio e depoimentos positivos de seus clientes.

O que incluir no projeto de autopublicação?

Cada livro é um projeto único e pode exigir um esforço diferente. Mas, de maneira geral, a edição envolve, principalmente:

  • Preparação de texto / revisão;
  • Diagramação;
  • Design de capa;
  • Revisão de prova;
  • ISBN;
  • Fica catalográfica;
  • Publicação (livro físico e/ou digital).

Vale ressaltar que, no caso de autopublicação de livros, o autor será sempre muito requisitado. Mesmo que conte com uma editora independente, o escritor precisa ser proativo, ajudar na aprovação das tarefas e na divulgação da sua obra.

Para isso, é fundamental conhecer o contexto do mercado editorial que abordamos nesse post e também o básico da produção editorial. Assim, o autor terá mais controle para gerir sua carreira e seus projetos. Será também capaz de tomar decisões mais assertivas com relação à publicação dos seus livros.

Se você deseja saber mais sobre como publicar um livro passo a passo, conheça nosso conteúdo Premium sobre o assunto:

Como publicar um livro passo a passo