14 dicas de escrita para melhorar seus textos literários

Escrever pode parecer fácil, até você tentar escrever bem de verdade. No post anterior, apontamos algumas boas práticas de como ser um bom escritor. Para complementar, hoje vamos indicar 14 dicas de escrita para ajudar novos autores de ficção a adquirir mais confiança e produtividade em seus projetos literários. Se seu objetivo é aprimorar sua escrita criativa, prossiga com a leitura e confira como melhorar seus textos literários.

14 dicas de escrita para uma criação literária incrível

Resumidamente, as dicas de escrita que separamos para te ajudar são:

  1. Prepare-se para escrever
  2. Escreva a primeira versão do livro sem se preocupar com críticas
  3. Fique off-line
  4. Crie um ambiente produtivo para sua atividade de escrita
  5. Releia e reescreva a primeira versão do seu livro com técnicas de escrita
  6. Menos é mais: cuidado com o uso de palavras pretensiosas
  7. Evite advérbios
  8. Evite verbos de pensamentos
  9. Prefira parágrafos curtos
  10. Crie bons diálogos
  11. Entregue informações na hora certa
  12. Aprenda a se expressar com figuras de linguagem
  13. Cuide da sua mente e do seu corpo!
  14. Pratique! Escrever bem leva tempo

Agora, vamos entender a fundo cada uma delas:

Dica #1: Prepare-se para escrever

Antes de tudo, saiba o início, o meio e o fim da sua estória. Antes mesmo de sentar para começar a escrever seu livro.

Nesse sentido, trace os eventos principais de toda a narrativa. Crie um enredo capaz de fazer os personagens da estória se moverem do início ao fim.

Ah! Muito importante é a criação dos seus personagens. Por exemplo, dedique um tempo a entender as motivações, desejos e necessidades das forças do protagonista e do antagonista.

Afinal, a estória é vivida e expressa por intermédio dos personagens. Uma das funções do protagonista é gerar identificação com o público, bem como gerar empatia. De forma semelhante, o antagonista e/ou as forças do antagonismo devem testar a força de vontade do protagonista a fim de que sua função seja sentida pelos leitores.

Dessa forma, concentre-se, antes de mais nada, em entender os diferentes níveis de conflitos gerados pelas forças do antagonismo, como seu protagonista vai reagir a isso de maneira interessante e envolvente e também quais outros personagens vão participar, seja ajudando ou atrapalhando o personagem principal da sua estória.

Além da sua rede de personagens, conflitos e do enredo, é essencial conhecer o ambiente da sua narrativa. Ou seja, o mundo fictício. Somente conhecendo a fundo todas as dimensões deste mundo, seja realista ou fantasioso, é que você conseguirá sair do clichê e ser de fato autêntico em sua escrita. Portanto, elabore estes quatro aspectos do ambiente da sua estória:

  • Localização: onde vai se passar;
  • Período: em que época, por exemplo, dias atuais ou idade média;
  • Duração: extensão de tempo, por exemplo, vai se passar em dois anos;
  • Nível de conflito: diferentes formas de apresentar os conflitos do protagonista.

Dica #2: Escreva a primeira versão do livro sem se preocupar com críticas

Uma dica de escrita importante para quem está produzindo um livro é a seguinte: a primeira versão do seu texto não é a versão final!

A primeira versão deve ser escrita sem pensar muito em técnicas ou se o texto está ficando bom. Nesse primeiro momento, foque em produzir sua estória. Em transformar o planejamento em uma estória concreta.

“Mostre-se, mostre-se, mostre-se e, depois de um tempo, a musa aparecerá, também.” — Isabel Allende

Então, não pense muito sobre o que outras pessoas vão dizer a respeito do seu livro. Apenas coloque suas emoções e tente expressá-las com as suas palavras nesta primeira versão do seu manuscrito.

Dica #3: Fique off-line

Escrever exige atenção. Uma dica de escrita que pode passar despercebida é se distanciar do mundo exterior durante o trabalho. Aliás, um escritor profissional entende sua escrita como ofício e se condiciona a escrever frequentemente de acordo com seu processo criativo.

Então, desligue-se das redes sociais, da Netflix, da TV e concentre-se apenas na página em branco à sua frente!

Respire fundo e tire do seu silêncio as emoções que você deseja levar aos seus leitores. Se o seu texto sai da sua alma, do seu coração e vai de encontro à alma e ao coração de alguém, ele já cumpriu sua missão.

“… Um livro sem alma não se sustenta, não sobrevive. Não pode comover e, portanto, não pode criar nenhum laço minimamente catártico com o leitor” – Ricardo Bellissimo.

Dica #4: Crie um ambiente produtivo para sua atividade de escrita

A nossa quarta dica de escrita criativa é ter um local apropriado para se dedicar ao seu trabalho. Além de um lugar tranquilo e capaz de proporcionar privacidade, cuide também da sua postura!

Sem dúvida, escrever exige esforço mental, mas também físico. Então, alinhe-se, atente-se a ergonomia dos seus equipamentos e deixe seus músculos bem preparados para digitar pelo tempo que você separou para produzir seu texto.

Outra dica nesse sentido é preferir um espaço em que você se sinta à vontade para se expressar. Talvez, conversar com seus personagens, ler os diálogos em voz alta e entre outras “loucuras” que só farão sentido para você.

Pois, escrever é uma atividade introspectiva, íntima, em que o autor expressa algo do seu secreto para o mundo fictício. Então, procure escrever quando estiver sozinho e com as ferramentas e recursos capazes de deixar seu corpo mais relaxado e pronto para produzir por horas a fio!

“Escrever é estar no extremo de si mesmo.” — João Cabral de Melo Neto.

Dica #5: Releia e reescreva a primeira versão do seu livro com técnicas de escrita

Depois de colocar suas ideias em prática por meio da primeira versão do seu livro, o próximo passo é aprimorar o seu texto.

Se você seguiu as dicas de escrita até aqui, sua obra foi finalizada em termos criativos, sem muitos cuidados com gramática e técnicas. Então, é hora de reler como um crítico e reescrever a fim de escolher as palavras certas para transmitir a emoção certa aos seus leitores.

Em seguida, as próximas dicas tem o intuito de ajudar a refinar seu texto dentro desse processo de releitura e reescrita. Continue com a leitura e confira!

Dica #6: Menos é mais! Cuidado com o uso de palavras pretensiosas

Às vezes, um escritor iniciante pode pensar que escrever bem é usar palavras difíceis, eloquentes e incomuns. Mas, isso é um erro!

Escrever bem, segundo autores como Stephen King, em seu livro “Sobre a Escrita”, diz mais respeito a não ser pretensioso na escolha das palavras. Ou seja, deve ser compreendido pelos leitores, e não dificultar a comunicação.

Portanto, escolha termos simples e de fácil identificação. Mas, não exagere com gírias e expressões coloquiais. Menos é mais! Use todo tipo de palavra com moderação!

Dica #7: Evite advérbios

Ainda de acordo com King:

“(…) A estrada para o inferno é pavimentada com advérbios”.

Por exemplo, ao invés de escrever “muito triste”, tente mostrar este sentimento com situações e ações. Só para exemplificar: “abaixou a cabeça e não pôde reter as lágrimas.” Ou, ainda, prefira o uso de adjetivos, trocando o “muito triste” por “devastado”, só para exemplificar.

Essa dica de escrita vale para deixar seu texto mais leve, fluido e objetivo. Também ajuda a transmitir a mensagem desejada da melhor forma possível ao invés de pegar atalhos nos advérbios.

Dica #8: Evite verbos de pensamentos

Ainda nesse sentido da escolha das palavras, algumas delas deixam o texto enfadonho e superficial. Assim, uma forma de melhorar seu texto literário é reduzir ao máximo os verbos de pensamento, como “pensar”, “saber”, “entender” e etc.

Dessa forma, ao invés de dizer que seu personagem “lembrou de que sua melhor amiga gostava de rosas”, tente reescrever a frase sem o verbo de pensamento. Como por exemplo: “Joaquim presenteou sua amiga Ana com rosas para agradá-la”.

Sem dúvida, isso torna o trabalho do escritor mais árduo, porém o resultado vale a pena. A ideia é fornecer mais substância à sua criação literária, de modo que o leitor consiga sentir vividamente os acontecimentos da sua estória.

Dica #9: Prefira parágrafos curtos

Dentro do “menos é mais”, prefira frases e parágrafos curtos a fim de transmitir uma comunicação mais clara e objetiva.

Além de cortar palavras desnecessárias e sem significado, criar blocos de textos menores ajuda no visual do interior do livro, o que pode criar maior engajamento com o leitor, dar aquela vontade de “quero mais”, e fazê-los continuar virando a página, ansiosos pelo que está por vir.

Dica #10: Crie bons diálogos

Outro recurso que torna seu texto mais dinâmico, amigável visualmente e ajuda na identificação dos personagens são os diálogos.

Porém, os diálogos devem conter informação relevante, carregar a personalidade e toda a caracterização dos personagens, bem como colocar a estória para frente.

Assim, os diálogos precisam complementar a trama, trabalhar junto com o enredo. Ou seja, bons diálogos têm propósito de existir dentro do livro, não são criados apenas para preencher um vazio ou “encher o texto”. Não. Eles têm razão de estar dentro do texto e são conectados a todos os elementos da narrativa.

Portanto, uma das dicas de escrita que não poderia faltar aqui é caprichar nos seus diálogos. Se ficou vago e desnecessário, como aquelas “conversas boas de corredor”, por exemplo, “será que vai chover hoje?”, apenas elimine.

Dica #11: Entregue informações na hora certa

Quanto mais um escritor se prepara para escrever e planeja seu livro, mais detalhes conhece sobre sua ficção e pode ser tentador colocar tudo isso na sua obra.

Porém, o mais interessante é entregar essas informações em pequenas doses, deixando o leitor deduzir, e até mesmo ficar curioso a respeitos dos primeiros acontecimentos.

De forma geral, as pessoas leem estórias com certa “bagagem literária”. Ou seja, por meio de comparações com outros livros similares, conseguem ter uma ideia do contexto que o autor está tentando passar.

O segredo está em deixar a audiência supor um pouco e depois surpreendê-la com uma revelação inusitada, que você será capaz de criar ao elaborar com calma o ambiente da sua estória.

Essa técnica de entregar as informações de forma gradativa a fim de não sobrecarregar o leitor é chamada de exposição.

Portanto, vá escrevendo em formas de pistas e conduza seu leitor às respostas certas no momento mais apropriado.

Esse momento mais apropriado pode ser identificado dentro dos eventos chave da estrutura de uma estória. Por exemplo, no incidente iniciante, no clímax dos atos, no clímax da estória, seu desfecho e etc.

Dica #12: Aprenda a se expressar com figuras de linguagem

A palavra é um dos instrumentos do autor. Assim, é preciso tirar o melhor delas. As figuras de linguagem são ferramentas que ajudam a dar mais brilho ao seu texto.

Assim, quando for reescrever em cima da primeira versão do seu texto, pense em como aplicar as figuras de linguagem que você mais aprecia e considera interessante para o trecho que está tentando escrever.

Uma dica de escrita para usar as figuras de linguagens é adotar as que você tem mais aptidão. Dessa maneira, você vai se aprimorando e este pode ser até mesmo uma marca do seu estilo como autor.

Por exemplo, Machado de Assis usa brilhantemente a ironia em várias obras. Assim, é uma das suas marcas. C.S. Lewis, autor de “As Crônicas de Nárnia” criava analogias incríveis para representar suas ideias, o que marcou sua criação literária.

Então, estude as figuras de linguagem e faça uma lista das suas preferidas, bem como aquelas que você sente mais segurança em utilizar. Mas, não sobrecarregue seu texto com excesso de figuras de linguagem. Adote também outras técnicas, como diálogos e descrições, por exemplo, para equilibrar seu texto.

Finamente, releia a construção feita a fim de verificar se a função da figura de linguagem foi cumprida. Acima de tudo, tente sempre ser original ao invés de copiar o estilo de outros autores.

Dica #13: Cuide da sua mente e do seu corpo!

Como mencionado na dica de escrita número #12, as palavras são ferramentas do autor, são meios para um fim. Contudo, não são as únicas. A boa saúde mental e física do autor também é essencial para uma boa produção literária.

Assim, alongue seus músculos para conseguir digitar sem dores e incômodos. Faça intervalos de 15 a 20 minutos, hidrate-se e deixe a ideia crescer na sua mente no “piloto automático”. Seu cérebro continua trabalhando mesmo que você não esteja lutando com a folha em branco. Então, quando fizer as conexões de tudo que você levantou no seu trabalho de preparação, você terá avançado no processo criativo.

Portanto, crie também uma mentalidade propícia à criatividade. Leia, estude, pesquise, investigue sua ideia de todos os aspectos possíveis. Isso deixará seu cérebro pronto para fazer novas conexões. Quando essas conexões acontecerem, a criatividade é ativada e você conseguirá transformas as ideias em textos.

Dica #14: Pratique! Escrever bem leva tempo

A última dica de escrita deste post é continuar escrevendo. Escrever bem é um eterno aprendizado e você vai aprimorando com o tempo e com a prática. O mais importante é continuar aprendendo, se dedicando e jamais desistir!

“O escritor é um aprendiz do seu ofício até que deixe de escrever.” — Jorge Amado.

Os contos são ótimas narrativas para praticar, uma vez que são textos mais curtos e compartilham uma estrutura similar de um romance. Assim, se você deseja começar a escrever e ainda não tem uma ideia muito clara de um livro mais extenso, considere iniciar pela escrita de contos.

Caso deseje aprofundar seu conhecimento sobre produção de contos, o curso COMO ESCREVER CONTOS 2.0 é uma excelente alternativa. Clique no banner abaixo para saber mais sobre este curso online:

Curso para escritores - curso online de escrita de contos

Escritores escrevem!

Que estas dicas de escrita ajudem você a colocar suas ideias em prática e transformá-las em livros incríveis! Escrever é um processo que envolve preparação, estudo, persistência, paixão e muita dedicação.

Não pare no primeiro obstáculo. Continue expressando suas ideias com suas palavras e, só depois, foque em aprimorá-las. Assim, sua obra vai sendo construída e se transformando em um livro a ser lido futuramente pelos seus leitores.

Gostou e deseja ficar por dentro dos próximos conteúdos do nosso blog? Inscreva-se na nossa Newsletter preenchendo o formulário abaixo para receber notificações de novos posts por e-mail.